Políticas

Voltadas para o nível de graduação presencial, as concepções curriculares e organizações didático-pedagógicas do IDAAM são desenvolvidos de forma crítica, criativa e investigativa, enriquecidos pela problematização embasada em casos práticos. Assim, o Projeto Pedagógico dos Cursos (PPC) contemplam em sua estrutura:

  1. Perfil Institucional;
  2. Perfil do Curso: concepção do curso e inserção regional;
  3. Administração do curso;
  4. Objetivos do Curso;
  5. Perfil do egresso: profissional que se pretende formar;
  6. Currículo do curso;
  7. Atividades complementares;
  8. Estágios supervisionados;
  9. Trabalhos de conclusão de curso (TCC);
  10. Metodologia de ensino utilizado no curso;
  11. Avaliação dos processos de ensino e aprendizagem;
  12. Corpo Docente e Técnico-administrativos;
  13. Infraestrutura do Curso: instalações gerais, biblioteca e laboratórios;
  14. Atendimento ao Estudante;
  15. Auto aplicação do Curso.

Nesta perspectiva, os princípios norteadores do PDI do IDAAM para o ensino de graduação buscam a qualidade educacional, segundo as diretrizes:

  • Ofertar novos cursos de graduação visando atender às especificidades, as demandas locais e regionais, considerando a sua viabilidade de funcionamento e manutenção;
  • Desenvolver aptidões em cada curso de graduação voltadas para as possibilidades de atuação no campo profissional específico e orientadas para atender necessidades sociais;
  • Proporcionar a avaliação permanente do ensino de graduação estimulando a melhoria contínua dos cursos e a gestão acadêmica;
  • Garantir a qualificação do ensino por meio da formação continuada e programas de capacitação docente dos profissionais que atuam nos cursos de graduação;
  • Incentivar o planejamento, elaboração e execução das avaliações do ensino orientadas a superar a mera realização de provas e medidas de desempenho para tornarem-se procedimentos que conduzam a novos processos de aprendizagem;
  • Oferecer recursos para o nivelamento de conhecimentos do ingressante, procurando atender defasagens de escolaridade com disciplinas, cursos de extensão, atendimento Psicopedagógico, dentre outros;
  • Revisar, criar e acompanhar os projetos pedagógicos dos cursos de graduação, considerando as Diretrizes Curriculares Nacionais, os preceitos da Avaliação Institucional, novas tecnologias educacionais e as demandas sociais;
  • Incentivar o uso sistemático da biblioteca e dos laboratórios gerais e específicos, promovendo a interação entre a teoria e a prática profissional.

Políticas de Pós-Graduação

Os programas de Pós-Graduação Lato Sensu do IDAAM envolvem as principais áreas do conhecimento e fornecem educação continuada aos cursos de graduação, visando ao aprimoramento e a atualização profissional, preparando-os para o mundo do trabalho. Estes cursos preparam profissionais qualificados para ocuparem cargos de reconhecimento e melhor remunerados.Os Programas de Pós-Graduação do IDAAM são orientados pelas seguintes políticas:

  • Articular o ensino e a investigação científica com o comprometimento dos atores, democratizando o conhecimento acadêmico e associando a teoria à prática nos cursos Lato Sensu;
  • Fazer da Pós-Graduação Lato Sensu um eixo dinâmico e revitalizador da graduação;
  • Formar profissionais especializados nas áreas de concentração oferecidas, em conformidade com a demanda do mercado de trabalho;
  • Identificar áreas preferenciais para implantação de novos cursos de pós-graduação Lato Sensu que representem alternativas inovadoras, aproveitamento das potencialidades e afirmação da identidade do IDAAM;
  • Oferecer e expandir cursos de pós-graduação lato sensu por meio da articulação e da parceria com outras instituições ou cursos próprios, promovendo a vinda de professores visitantes, dentro de programas institucionais e do desenvolvimento de intercâmbio com outras instituições;
  • Oportunizar o aperfeiçoamento técnico-científico de docentes;
  • Integração com a área de cursos corporativos com a intenção de atender rapidamente demandas emergentes.
  • A Faculdade IDAAM não pretende desenvolver cursos próprios de Pós-Graduação Stricto Sensu.

Políticas de Extensão:

Os desafios da política de extensão no mundo contemporâneo reforçam a necessidade de transferência do conhecimento produzido dentro das instituições de ensino para promoção do desenvolvimento local regional e nacional.

A extensão deve ser instrumento de transformação e adquirir uma estrutura ágil e dinâmica, caracterizada pela interação recíproca de professores, alunos e sociedade, ocorrendo em qualquer espaço e momento, dentro e fora dos muros da Instituição.

A política de Extensão da Faculdade - IDAAM está estabelecida em atendimento aos princípios de cidadania fraterna e solidária, da justiça social, do respeito e dignidade, da ética e da responsabilidade institucional e socioambiental.

As atividades de extensão terão a finalidade de integrar a formação teórica com a prática, bem como desta com a comunidade e se orientará pelas diretrizes do Plano Nacional de Educação, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

No âmbito interno, deve propiciar a participação da comunidade universitária, privilegiando ações integradas com as administrações públicas e com as entidades da sociedade civil.

A extensão universitária será efetivada por meio de programas, projetos, cursos, prestação de serviços gratuito, eventos, publicações e outros produtos acadêmicos de caráter educacional ou utilitário, organizados pelos diversos cursos da Faculdade.

Para a política de extensão universitária da Faculdade estabelecem-se os seguintes objetivos:

  • Promover e consolidar a Extensão Universitária como processo indispensável na formação do aluno, na qualificação do professor e no intercâmbio com a sociedade;
  • Estimular e promover ações de extensão centradas na educação para os direitos humanos e a cidadania: direito à vida, à educação, ao trabalho, à saúde, à liberdade, à cultura, ao lazer, entre outros;
  • Articular o ensino e a investigação científica com as demandas das comunidades, promovendo o exercício da cidadania, a superação de qualquer forma de exclusão e visando a autonomia das comunidades, evitando-se qualquer forma de dependência;
  • Democratizar o conhecimento acadêmico e a participação efetiva da sociedade na vida da Faculdade;
  • Intensificar programas de inclusão social para a promoção e fortalecimento da responsabilidade social;
  • Buscar mecanismos de integração entre o saber acadêmico e o saber popular tradicional potencializando a produção do conhecimento, promovendo o protagonismo das comunidades e fortalecendo os vínculos da comunidade acadêmica com a sociedade;
  • Apoiar as atividades voltadas para a produção e preservação cultural e artística, econômica e social na busca da formação de cidadãos éticos e comprometidos com o bem comum;
  • Estimular e promover a inclusão da Educação Ambiental e do Desenvolvimento Sustentável como componentes da atividade de extensão;
  • Incentivar a prática acadêmica que contribua para o desenvolvimento da consciência social e política dentro e fora da instituição;
  • Divulgar e apoiar a produção acadêmica e a interlocução entre as áreas distintas do conhecimento.

A prática extensionista tem como princípios estender à sociedade os conhecimentos produzidos na Faculdade, aplicando-os para a solução de problemas sociais, permitindo, assim, a integração da Faculdade com a comunidade.


FACULDADES IDAAM 2018. Todos os conteúdos estão licenciados sob a cc-by-sa-3.0, exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes.